O LSF é um sistema construtivo industrializado, constituído de perfis leves de aço galvanizado, que formam paredes estruturais e não-estruturais após receber as placas de fechamento.

Sendo um processo racional de construção, possibilita uma execução de obra rápida, a seco e sem desperdícios.

Confira a seguir como são as etapas de uma obra Steel Frame:

Fundação

Fundação radier para obra em steel frameUma das grandes vantagens do sistema LSF é gerar uma estrutura mais leve, o que permite, de um modo geral, que as fundações sejam mais simples, pois as cargas dos painéis junto à fundação se distribuem de maneira mais uniforme ao longo de toda a extensão.

Fundações mais utilizadas

Radier é o tipo de fundação mais utilizado nas construções em steel frame. É uma laje de concreto armado que distribui uniformemente as cargas sobre o solo, utilizável na maioria dos terrenos. E, como qualquer fundação, exige um bom processo de impermeabilização para que sejam evitadas as infiltrações e a umidade.

Sapatas corridas e vigas baldrame também são bastante empregadas. Vale lembrar que, para terrenos com topografia difícil, pode-se utilizar de técnicas convencionais de engenharia para fundações, levando-se em conta que os dimensionamentos podem ser reduzidos devido a leveza da estrutura que deverão sustentar.

O LSF é um sistema autoportante, portanto, para que haja uma correta transmissão das ações da estrutura, é preciso prezar pelo perfeito nivelamento e esquadro da fundação. O sistema tem pouca maleabilidade para ajustes na obra, desvios da fundação é uma interferência a ser evitada.

Estrutura

residência steel frame

De forma geral, toda edificação necessita de um sistema estrutural que a mantenha estável em condições normais de utilização quando sujeita às mais diversas ações.

O Steel Frame racionaliza sobremaneira a concepção da estrutura ao utilizar-se de perfis de aço dobrados a a frio, fabricados a partir de bobinas de aço de alta resistência e revestidos com zinco ou liga de alumínio-zinco.

As seções, espessuras usuais e propriedades geométricas desses perfis são definidas pelas normas NBR 15253 – Perfis de Aço Formados a Frio, com Revestimento Metálico, para Painéis Reticulados em Edificações: Requisitos Gerais e NBR 6355 – Perfis Estruturais de Aço Formados a Frio: Padronização.

Concebidos em processo industrial, os cortes, encaixes e dimensionamentos dos painéis são extremamente precisos e atendem especificamente à peculiaridade do projeto. São produzidos ao mesmo tempo em que a fundação é executada, agilizando assim o processo. Instalados na vertical, são utilizados como paredes, e na horizontal como pisos ou lajes.

A maioria dos painéis verticais são portantes, funcionam como estrutura da edificação, suportando cargas e estabilizando o conjunto. Alguns são empregados apenas com a finalidade de paredes de vedação. A concepção do sistema garante a integridade da estrutura ao permitir que os painéis formem um conjunto travando-se entre si.

Cobertura

cobertura steel frame - telhado shingleNormalmente vistas como proteção contra as ações das intempéries, as coberturas surgem também como elementos de importância estética para o projeto, demandando, desse modo, materiais que entreguem tanto o desempenho técnico como atendam às exigências de arquitetura.

As dimensões dos vãos a serem vencidos, características arquitetônicas e estéticas, condicionantes locais, ações de fenômenos da natureza, assim como a relação custo-benefício figuram entre os fatores a serem analisados na hora de definir a cobertura da edificação.

Sob o aspecto construtivo, as coberturas específicas para steel frame apresentam os mesmos princípios e características das estruturas tradicionais. E nelas podem ser aplicadas, entre outras, telhas shingle, cerâmicas, metálicas ou de fibrocimento. Também é possível optar por coberturas do tipo laje impermeabilizada, telhado verde ou telhado embutido. As coberturas prontas para steel frame também podem ser aplicadas nos sistemas construtivos convencionais.

É importante salientar que o peso da vedação, das mantas termoacústicas, dos forros suspensos, das instalações e equipamentos, da ação do vento e de outros fatores de carga, além do próprio peso, são dados que devem ser considerados ao se dimensionar a capacidade de suporte da estrutura de cobertura.

Fechamento Externo

Na estrutura da construção, as vedações verticais são formadas com a aplicação de placas e isolantes. A esses componentes fixados à estrutura externa e internamente é que chamamos de fechamento. Os fechamentos externos delimitam as áreas molháveis, os isolamentos térmicos e acústicos são aplicados entre os montantes e entre as placas e, por fim, os fechamentos internos que são instalados nas áreas secas ou úmidas.

Os fechamentos externos, por sujeitarem-se às ações das intempéries, devem sobretudo garantir estanqueidade e durabilidade à obra. Devem também ser avaliados sob seus aspectos estéticos, ou pela forma como irão interagir com o acabamento final.

No mercado brasileiro, os componentes mais usuais para os fechamentos externos, são as placas cimentícias e a placa OSB (Oriented Strand Board). O siding cimentício, tiras de placas cimentícias sobrepostas, também pode ser utilizado.

A placa cimentícia, pela durabilidade, impermeabilidade, leveza e pequena espessura possui grande compatibilidade com o sistema. Sua adaptabilidade modular, resistência a impactos e baixa condutividade térmica, contribuem para que seja um dos componentes de fechamento mais utilizados. É, ainda resistente a microorganismos e cupins e possui o diferencial de aceitar diversos acabamentos, como o siding vinílico, por exemplo, que tem um visual bastante atraente.

Já, o painel de OSB, também bastante utilizado, apresenta a vantagem é ser estrutural, auxiliando no contraventamento das paredes. É instalado diretamente na estrutura e sobreposto com uma membrana que forma uma barreira contra vapor e umidade. Neste caso o revestimento com siding vinílico pode ser instalado diretamente sobre a manta. O painél OSB possui resistência de até dez anos contra cupins.

Instalações

As instalações elétricas e hidráulicas no steel frame são as mesmas utilizadas em construções convencionais. Portanto, as considerações de projeto, dimensionamento e uso das propriedades dos materiais não são diferentes do tratamento tradicional para essas instalações. O mesmo é válido com as instalações para telefonia, internet, cabos de TV, gás e de aquecimento solar.

Porém, algumas particularidade devem ser observada. Se forem utilizadas tubulações de cobre para água quente ou gás, é importante que sejam aplicados espaçadores plásticos para impedir o contato com aço galvanizado dos perfis, de forma a prevenir a formação de corrosão galvânica. Registros hidráulicos devem ser fixados a peças auxiliares instaladas horizontalmente, a fim de garantir a firmeza necessária para o seu uso.

Apesar do sistema adaptar-se confortavelmente ao produtos de elétrica e hidráulica convencionais, algumas facilidades estão disponíveis no mercado, concebidas especialmente para drywall e steel frame, como as caixas elétricas que se fixam diretamente nas placas de gesso acartonado, por exemplo. Porém, da mesma forma como nas instalações hidráulicas, os materiais elétricas convencionais, podem ser usados sem problemas, fixados nos montantes estruturais ou em peças auxiliares.

As paredes no sistema steel frame funcionam como shafts visíveis e facilitam sobremaneira a execução e a manutenção das instalações.

Isolamento Termoacústico

A construção Steel Frame permite ganho de área útil por dimensionar paredes menos espessas, mas engana-se quem vê nesse detalhe um ambiente mais propenso a ruídos ou menos resistente a troca de calor. Para um isolamento termoacústico adequado, entre os fechamentos externo e interno da parede, podem ser aplicadas mantas lã de rocha, lã de vidro, lã de pet ou painéis de EPS.

A espessura do isolante bem como sua densidade dependerão do nível de isolamento desejado. Por isso é possível, por exemplo, que uma parede com 12 cm com uma camada de 50 mm de lã de vidro apresente um desempenho superior em relação a uma parede de alvenaria com 15 cm.

A própria concepção do sistema, formado por duas placas, preenchidas internamente com lã mineral (sistema massa-mola-massa), propicia a redução acústica pela descontinuidade do meio.

Fechamento Interno

fechamento interno steel framePara os fechamentos internos, as mesmas placas utilizadas nos fechamentos externos podem ser aplicadas, mas para um acabamento ainda mais impecável, o uso de placas de gesso acartonado é o mais recomendado.

Para as áreas secas, as placas de gesso Standard ST são as mais indicadas. Nas áreas molháveis entretanto é melhor optar pelo uso da placa cimentícia. Porém, se de forma intermitente, o local estiver sujeito somente à umidade por tempo limitado, as placas de gesso tipo RU, resistente à umidade, podem ser utilizadas.

A instalação das placas de gesso no sitema steel frame seguem os mesmos parâmetros e recomendações de instalação das placas no sistema drywall, observando-se contudo a diferença dos componetes da estrutura.

Tanto para os fechamentos externos como internos, os painéis ou placas devem evitar o contato com o solo ou a fundação.

Caixilhos e outros sistemas

É muito importante definir as fixações e acabamentos de caixilhos antes da aplicação dos fechamentos, para saber se as placas serão aplicadas antes ou depois. Por exemplo, um caixilho que seja instalado rente à face externa, deverá ser instalado antes das placas, para que na colagem das mesmas os ajustes e a vedação sejam bem executados. Em outra situação, as portas e janelas, a depender da fixação, podem se instaladas diretamente na estrutura.

Paredes que receberão dutos de instalações deverão ser montadas instalando-se inicialmente apenas a face contrária à instalação. Após executada a instalação e a aplicação dos isolantes, fehca-se a outra face. Perfurações posteriores para pontos de hidráulica ou elétrica são resolvidas facilmente com a serra-copo.

Acabamento

casa-steel-frameO mercado dispõe de materiais que dão à obra em Steel Frame um aspecto similar ao de uma construção em alvenaria e, até mesmo, um acabamento mais refinado.

A utilização de placas de madeira ou de gesso tornam as superfícies bem planas. O uso de siding metálico, vinílico ou cimentício para as fachadas conferem valor estético à edificação, além de ajudar no escoamento da água e, consequentemente, aumentar a vida útil da fachada.

A utilização de forros, de madeira ou gesso, também deixam o imóvel com aspecto estético sofisticado.

Nessa etapa, é importante que o usuário da obra e o profissional responsável pelo projeto de arquitetura ou design de interiores interajam a fim de explorar toda a potencialidade de acabamentos que uma contrução em Steel Frame pode viabilizar. Nessa hora, o céu é o limite.